Como o Sagrado Coração de Jesus revelou o amor que tem à humanidade

Revelação foi feita para Santa Gertrudes

Santa Gertrudes via um dia as suas companheiras se apressarem em ir à Igreja para assistir um sermão, enquanto a doença a retinha na cela:



“Ah! Meu caríssimo Senhor”, diz ela gemendo, “como eu iria prazerosamente ao sermão se não estivesse doente!”
“Queres, minha dileta”, respondeu Nosso Senhor, “queres que eu próprio pregue para ti?”
“Com muito gosto”, replicou Gertrudes.
Então Jesus inclinou a alma de Gertrudes para o seu Coração, e ela logo discerniu neste duas pulsações dulcíssimas de ouvir:
Uma destas pulsações”, diz Jesus, “opera a salvação dos pecadores; a segunda, a santificação dos justos. A primeira fala sem trégua a meu Pai, a fim de lhe aplacar a justiça e atrair a misericórdia. Por essa mesma pulsação falo a todos os Santos, desculpando junto a eles os pecadores, com o zelo e indulgência de um bom irmão, induzindo-os a intercederem por eles. Essa mesma pulsação é o incessante apelo que dirijo misericordiosamente ao próprio pecador, com o indizível desejo de vê-lo regressar a mim, que não me canso de esperá-lo”.
Pela segunda pulsação digo continuamente a meu Pai quanto me felicito de ter dado meu sangue para resgatar tantos justos, no coração dos quais fruo tantas alegrias. Convido a corte celeste a admirar comigo a vida dessas almas perfeitas e a dar graças a Deus por todos os bens que Ele já lhes deu ou lhes prepara.
Enfim, esta pulsação do meu Coração é a conversa habitual e familiar que tenho com os justos; já para lhes testemunhar deliciosamente o meu amor, já para repreendê-los em suas faltas e fazê-los progredir de dia em dia, de hora em hora.
“Nenhuma ocupação exterior, nenhuma distração da vista e do ouvido, interrompe as pulsações do coração do homem.
Assim, o governo providencial do universo não será capaz, até o fim dos séculos, de deter, de interromper, de moderar, sequer por um instante, estas duas pulsações do meu Coração”.


Na quinta-feira santa…

Jesus fez compartilhar ao coração de Gertrudes as angústias que o seu divino Coração experimentou ao aproximar-se a sua Paixão. Parecia à santa que Jesus passava todo aquele dia na prostração e nos sofrimentos da agonia, porque sabia de antemão tudo o que devia aturar. Por isso, como ele era Filho de uma terna Virgem e mais delicado ainda que sua Mãe, assustava-se e tremia a todo momento, apresentando já as convulsões e a palidez de um moribundo.
A Gertrudes, partilhando-lhes as angústias, sentia tal compaixão dele que, se tivesse o poder de mil corações, tê-lo-ia consumido todo naquele dia em compadecer-se de amigo tão caro e tão amável.
Sentia também no seu coração violentas pulsações, provocadas pelo desejo e pelo amor, que correspondiam  às pulsações do Coração de Jesus, de sorte que estava prestes a desmaiar sob a violência delas. Ora, o Senhor lhe disse:


“O amor que me animava no tempo da minha Paixão; quando eu suportava no meu Coração todas essas angustias, sinto-o hoje no seu coração, que tantas vezes se tem comovido e penetrado de compaixão pelas minhas dores, pela salvação dos meus eleitos.
Assim, dou-te em troca desta compaixão que testemunhaste durante aquele dia, todo o preço da minha sagrada Paixão, pelo bem de tua alma, e quero que recebas também, para distribui-lo à toda a Igreja, esse mesmo fruto da minha Paixão em todos os lugares onde se adora hoje em dia o lenho da Cruz”.
Recomendamos também:
1) Consagração das famílias ao Sagrado Coração de Jesus

2) As pulsações do Sagrado Coração de Jesus

3) Como entronizar o Sagrado Coração de Jesus em sua casa (e no seu coração)

4) Novena do Sagrado Coração de Jesus


Fonte: retirado do livro “Amor, paz e alegria: mês do Sagrado Coração de Jesus segundo Santa Gertrudes” do Rev. Pe. André Prevot.
Via AASCJ
COMPARTILHE COM SEUS AMIGOS


Comentários