8 alegrias da Páscoa, segundo Dom Orlando Brandes


A alegria da vitória decisiva. O inimigo vencido foi a morte. Alegria indizível experimenta quem crê na ressurreição e assim resolve o drama, o trauma, a tragédia e o medo da morte. É uma alegria inaudita, porque o nada, o absurdo, o horror do vazio se calam e a vida não cai no vácuo. Alegria porque evangelizar é trabalhar por uma causa já vitoriosa.


A alegria da realização das promessas. Deus cumpriu a promessa da salvação, que culminou na ressurreição. As Escrituras se cumpriram. Elas continham a verdade. Venceu a verdade. Portanto, a vida, o sofrimento, o trabalho, as lutas por dias melhores, têm sentido. Deus não mente, não engana. A ressurreição desmobiliza o pessimismo, o ceticismo, o derrotismo.


A alegria da ressurreição da carne. Os mortos ressuscitarão. Nosso corpo será glorioso, transformado, espiritual e incorruptível. Toda a matéria ressuscitará e participará da glória de Deus. Quanta alegria ecoa em toda a terra. Tudo canta de alegria.


A alegria da missão. Ressuscitam com Jesus: o Evangelho, o Reino, a Igreja, o Plano da Salvação. Graças à ressurreição vamos à missão que consiste em fazer a experiência do encontro com Jesus vivo e levar esta boa notícia para o mundo inteiro. Assim, todos ficam sabendo de onde viemos, porque existimos e para onde vamos.

A alegria da verdade. A partir de Jesus ressuscitado confirma-se a verdade sobre o homem, sobre a Igreja e sobre o mundo. Não precisamos mais recorrer à reencarnação, nem cair no pavor do nada. A verdade sobre a vida presente e a futura é incontestável, graças à ressurreição. O cristianismo subsiste pela fé na ressurreição: Creio na ressurreição da carne, verdade última.

A alegria do sentido da vida. A ressurreição confere sentido à prática do bem, ao sofrimento, ao trabalho cotidiano, à luta pela justiça. Tudo tem meta, direção, futuro. A ressurreição é o coroamento de todas as boas ações e a plenitude da evolução do mundo: Cristo tudo em todos.

Alegria de estarmos em processo de ressurreição. Já estamos em processo de ressurreição. Cada vez que ouvimos a Palavra, recebemos a Eucaristia, entramos em oração, praticamos o bem, estamos ressuscitando. O bem e o amor são imortais; perdoar, ajudar e servir um pobre, um doente, um aflito é ser instrumento e testemunha da ressurreição. Nossa santificação é um processo de ressurreição, de iluminação, de transformação.

Alegria da esperança. Pela fé na ressurreição temos esperança, por isso defendemos a vida, promovemos o irmão, praticamos a caridade, temos força e coragem para perseverar. Sem a ressurreição a esperança seria apenas otimismo, entusiasmo, utopia. A partir de Jesus ressuscitado, esperança significa derrota da morte, certeza da vida eterna, continuidade da vida, visão de Deus, comunhão dos santos. Nossa esperança não é só um sentimento, é uma convicção. A esperança cristã tem o nome de ressurreição, céu, futuro, vida eterna, visão beatificada, etc.

Que a alegria da Páscoa se manifeste em gestos como um sorriso, olho no olho, um abraço, um elogio, a promoção da vida, a proximidade junto aos pobres, doentes, presos.

Com Santo Agostinho, podemos rezar assim: "Senhor, tua misericórdia é minha esperança”. A fé na misericórdia enche nosso coração de esperança na Salvação eterna. Confiando na misericórdia, esperamos ser salvos. Senhor, confio esperando em Teu amor misericordioso e espero salvação, a glória, a vida que nunca se acaba.

Dom Orlando Brandes, Arcebispo de Aparecida

via A12


FAÇA SUA DOAÇÃO PARA MANTER ESSA OBRA DE EVANGELIZAÇÃO:

EVANGELIZE COMPARTILHANDO NAS REDES SOCIAIS:

Comentários