Os apóstolos se sentiram tristes na Ascensão do Senhor?


Os apóstolos acompanharam Jesus durante três anos, durante os quais cultivaram uma amizade pessoal com Ele, sendo abençoados sem medida. É por isso que a perda mais terrível de suas vidas ocorreu na Sexta-feira Santa, quando Jesus morreu na cruz.


No entanto, como recorda um blog publicado pelo escritor John Clark em ‘National Catholic Register’, em dois dos seus sermões sobre a Ascensão do Senhor, o Papa Leão I, "O Magno", comentou que a Ascensão foi um momento de alegria para os apóstolos, e não de tristeza.


"E, portanto, os apóstolos mais abençoados e todos os discípulos, que se tinham se sentido desorientados por sua morte na cruz, mas voltaram ao crer em sua ressurreição, ficaram tão fortalecidos pela clareza da verdade, que quando o Senhor entrou nas alturas do céu, a tristeza não lhes afetou, e eles ficaram cheios de uma grande alegria", afirmou o Papa.

Como se recorda, naqueles dias os apóstolos restantes, com exceção de João, se viram obrigados a refletir sobre o fato de que não estiveram presentes durante a Paixão e Crucificação do Senhor.

Por isso que os apóstolos ansiavam por ver Jesus novamente, para prostrar-se em seus pés e pedir o perdão de seu Amigo. Tiveram a oportunidade.

Jesus ressuscitou dos mortos e depois apareceu a eles, e podemos acreditar que o amor e o carinho deles por Cristo foram mais fortes do que nunca nestes dias após a Ressurreição.

No entanto, o tempo com Ele foi curto, porque apenas algumas semanas depois, Jesus ascendeu ao céu. Os apóstolos também sabiam que Jesus estava enviando o Espírito Santo, que os consolaria. Em sua ascensão, Jesus não os abandonava; Ele estava preparando um lugar para eles no Céu, onde não há tristeza, mas apenas felicidade.

O Papa Leão I comentou que "o motivo de sua alegria foi tão grande e impronunciável quando, à vista da multidão santa, acima da dignidade de todos os seres celestiais, a Natureza da humanidade subiu para passar sobre as filas dos anjos e subir além das alturas dos arcanjos".

“Não foi apenas a fé dos apóstolos que foi confirmada pela Ascensão, mas os apóstolos finalmente entenderam as palavras de Jesus: ‘Depois de ir e vos preparar um lugar, voltarei e vos tomarei comigo, para que, onde eu estou, também vós estejais'(João 14,3)”, refletiu.

Nesse sentido, de acordo com o Papa Leão I, os apóstolos foram revitalizados com alegria.

Santo Tomás de Aquino disse que um dos efeitos da Ascensão é dar esperança: "Ao colocar no Céu a natureza humana que Ele assumiu, Cristo nos deu a esperança de ir para lá", expressou o santo.

"Fomos criados por Deus para compartilhar sua felicidade eterna. Além disso, devemos nos alegrar porque Jesus ainda está conosco no Santíssimo Sacramento. E assim, o que até então era visível do nosso Redentor se converteu em uma presença sacramental", recordou o Pontífice.

Da mesma forma, o Papa ressaltou que Jesus ascendeu para preparar um lugar para todos aqueles que o amam, isso deve ser lembrado "quando os problemas do mundo nos angustiam, quando somos tentados pela tristeza".

"Quando parece que o mal foi vitorioso, que o diabo venceu de alguma forma, devemos nos lembrar da Ascensão como prova de que Cristo venceu. De fato, Ele conquistou o mundo. E conquistou o mal", afirmou.

Como aconselhou o Papa Leão I, "e assim, amadíssimos amores, alegremo-nos com alegria espiritual, e demos graças a Deus e elevemos os olhos de nossos corações sem impedimentos para as alturas de onde Cristo está".

Este domingo da Ascensão deve ser um momento de grande alegria e esperança para todos os membros do Corpo Místico de Cristo, assim como para lembrar que todos somos chamados ao Céu.

via ACI

FAÇA SUA DOAÇÃO PARA MANTER ESSA OBRA DE EVANGELIZAÇÃO:

EVANGELIZE COMPARTILHANDO NAS REDES SOCIAIS:

Comentários