Igreja faz maratona de culto há mais de um mês para proteger imigrantes


Há cinco semanas que decorre um culto religioso na igreja protestante Bethel, em Haia, na Holanda, de forma ininterrupta. Esta maratona de orações têm uma explicação. Foi a solução encontrada pelo padre para evitar a deportação de uma família de imigrantes arménios que viu o seu pedido de asilo ser negado pela Holanda, refere o New York Times.

A família Tamrazyan, composta por um casal e três filhos, vive há quase nove anos na Holanda e afirma que corre perigo caso regresse à Arménia. O pai da família é um ativista político e foi ameaçado de morte antes de deixar o país de origem.

Solidário com a família, o padre da igreja Bethel recebeu-os e iniciou um culto que não mais parou. É que a polícia holandesa não pode agir enquanto decorre uma cerimónia religiosa. Mas assegurar um serviço religioso sem interrupções não foi fácil inicialmente. No entanto, assim que a notícia se tornou pública centenas de padres e líderes religiosos da Holanda juntaram-se ao culto.

“Já são mais de 450 padres, sacerdotes, diáconos e líderes religiosos de todo o país que pediram para fazer parte da escala de serviços religiosos”, frisou Axel Wicke, o padre da igreja de Bethel. “Tivemos ajuda até do exterior. Houve sermões em inglês, francês e alemão. Isso comoveu-nos muito. Muitas vezes vejo um sacerdote entregar o púlpito a outro de uma religião diferente”.

Inicialmente, a decisão da justiça holandesa acedeu ao pedido de asilo da família Tamrazyan, mas o governo recorreu da decisão três vezes até obter uma decisão que fosse favorável à deportação da família.

Via Notícias ao minuto

Comentários