Médico recomendou ao casal o aborto, depois de muita luta e oração, o impossível aconteceu


Quando alguém quer muito um filho, a notícia de que ele pode não sobreviver à gestação é desoladora. Foi o que aconteceu com Sandy e Shane, que descobriram na vigésima semana que o crânio de sua filha não tinha se desenvolvido e 40% de seu cérebro estavam para fora.



O médico que a acompanhava disse que nunca tinha visto um bebê em uma situação daquelas sobreviver e recomendou ao casal o aborto. Sandy e Shane decidiram o contrário, e, depois de muita luta e oração, Zoe sobreviveu e é hoje uma criança saudável.


Segundo os médicos, a menina teve uma encefalocele posterior, que consiste em uma anomalia onde o crânio do feto não fecha devidamente e o cérebro passa a crescer fora da cabeça. “Nossos corações afundaram”, conta a mãe.


O casal depositou sua fé e confiança em Deus e acreditou que a criança era uma bênção. Apesar de tudo, ela chegou à luz, e eles afirmam que ali sua fé foi posta à prova. “A primeira coisa que eu vi foi seu cérebro. Eu não sabia se ela sobreviveria”, diz Sandy.


Dois dias depois, Zoe fez uma cirurgia para remover matéria cerebral e fechar o buraco em sua cabeça. Depois de apenas cinco dias ela teve alta do hospital e os pais contam que rezaram para que Deus continuasse a abençoá-la e curá-la.


Zoe tem nove anos atualmente e é considerada pelos pais uma bênção. “Ela é cheia de vida e cheia de energia. Eu agradeço a Deus por termos escolhido acreditar e pelas pessoas cheias de fé ao redor de nossa família.”


A história de Zoe é um exemplo de que a vida nos manda provas e, se escolhemos enfrentá-las, a recompensa pode ser muito gratificante. Esperamos que você também tenha se emocionado com a perseverança da família. 
Via Best Of Web
COMPARTILHE COM SEUS AMIGOS


Comentários

NOSSO APLICATIVO: