Rosto de Maria Madalena é apresentado à Igreja Católica e para o mundo. Confira!


Pesquisadores brasileiros apresentaram ao mundo nesta semana a reprodução do rosto que seria da Santa Maria Madalena. Ela teria sido a primeira pessoa a ver Jesus Cristo ressuscitado, de acordo com a Bíblia. O trabalho de reconstituição da face da santa envolveu o especialista em odontologia legal Paulo Eduardo Miamoto Dias, de Santos.



Ele e o designer gráfico Cicero Moraes, de Mato Grosso, foram contatados pelo especialista em santos católicos José Luís Lira, que teve a ideia de reproduzir o rosto de Madalena a partir do suposto crânio dela, conservado na Basílica de Sainte-Marie-Madeleine, em Saint-Maximin-la-Sainte-Baume, uma cidade no Sul da França.
No fim do ano passado, os pesquisadores conversaram com o padre da basílica francesa, que, à princípio, se mostrou reticente com a iniciativa. "Ele disse que não interessava aos fiéis saber como era o rosto de Maria Madalena", conta Miamoto. "Nós insistimos e, quando falamos que já havíamos trabalhado em parceria com a Igreja Católica no caso do Santo Antônio e que não seria necessário remover o crânio do relicário, ele topou".


Moraes e Miamoto fizeram a reconstituição da face de Santo Antônio, cuja réplica ficou em exposição na Basília Santo Antônio do Embaré, em Santos. Eles utilizaram estudos sobre as características físicas do santo para criar uma imagem tridimensional no computador.



No caso de Maria Madalena, o especialista em odontologia legal teve apenas sete fotos à disposição, apesar de ter pedido 40 ao pároco. "Só pude fazer uma análise indireta, em cima de fotos, que não mostram o crânio em sua totalidade. Mas, mesmo assim, do que pude extrair de informações, concluí que é compatível com o de uma mulher adulta e branca", afirma Miamoto. 
De acordo com o especialista, os crânios fornecem muitas informações sobre as características da pessoa, o que possibilita, por meio de engenharia reversa, reconstituir músculos e tecidos. "O tamanho do nariz, a posição dos olhos e a largura da boca são derivados da anatomia", exemplifica. Todas as informações extraídas da ossada foram aplicadas em um programa gratuito de computador.
Foi assim, em um trabalho que durou cerca de cinco meses, que os pesquisadores reconstituíram o rosto de Madalena, apresentado ao mundo no último domingo. "Temos reconstruções de pessoas vivas e observamos que algumas partes ficam bem próximas. Nós temos bastante confiança [no resultado], não é 100% igual, mas com certeza é reconhecível", defende Miamoto, salientando que aprendeu muito com o trabalho. "Estou acostumado a olhar o crânio sobre aspectos biológicos. Durante o trabalho, tive a chance de aprender muito sobre o personagem histórico".
Maria Madalena aparece nos textos bíblicos como discípula de Jesus Cristo e, por conta de diferentes interpretações, chegou a ser vista como prostituta e adúltera. Ela foi beatificada pelas Igrejas Católica, Ortodoxa e Anglicana, sendo festejada no dia 22 de julho.


Outros trabalhos
Miamoto irá participar da reconstrução das faces de outros santos católicos em breve. Ele e Cicero Moraes viajarão até Lima, no Peru, entre 1º e 8 de agosto, para ter acesso a três crânios no relicário do Convento de Santo Domingo. Eles pertencem supostamente a Santa Rosa de Lima, São João de Macías e São Martinho de Porres.
"Teremos impressão 3D dessas faces e vamos fazer um evento para trazer para a população da Baixada Santista, porque há Paróquia de Santa Rosa de Lima em Guarujá", adianta o pesquisador.
A Equipe Brasileira de Antropologia Forense e Odontologia Legal (Ebrafol), da qual Miamoto é coordenador, não trabalha apenas com personagens da Igreja Católica e usa a tecnologia de digitalização em 3D para planejamento cirúrgico e medicina veterinária.
Na semana passada, um jabuti foi salvo ao receber uma prótese de casco produzida em uma impressora 3D da Ebrafol.
Essas técnicas podem ser aplicadas também em investigações policiais, para reconhecimento de ossadas e divulgação de retratos falados.
Fonte: A Tribuna