Papa Francisco quebra protocolo e reza inesperadamente com fieis… na rua.


Em seu primeiro dia no Equador, o papa Francisco surpreendeu o público ao deixar a sede da Nunciatura Apostólica, onde está hospedado em Quito, para fazer uma vigília na rua com os fiéis.



“Vou abençoá-los para que descansem e deixem dormir os vizinhos”, teria dito Francisco, de acordo com relatos no Twitter dos presentes. O Papa rezou o “Pai Nosso” e voltou para a Nunciatura, deixando os fiéis emocionados.

Fotos distribuídas nas redes sociais mostram o Papa com os braços abertos diante do público, em uma aparente quebra de protocolo.

Também circulou na web a foto de um homem que conseguiu fazer um selfie com o Pontífice durante sua chegada ao aeroporto internacional de Quito.

O líder da Igreja Católica ficará no Equador até a próxima quarta-feira (8), quando seguirá viagem para Bolívia e Paraguai.

 Hoje, ele vistará a cidade de Guayaquil, celebrará uma missa no Parque dos Los Samanes e se reunirá com o presidente equatoriano, Rafael Correa. (ANSA)



Missa do papa Francisco atrai mais de 500 mil pessoas no Equador

O papa Francisco rezou uma missa para mais de meio milhão de equatorianos nesta segunda-feira e destacou que deseja que uma grande reunião do Vaticano prevista para este ano encontre maneiras de lidar melhor com os católicos que se sentem excluídos da Igreja.

No primeiro dia de uma viagem que incluirá três países sul-americanos, o pontífice argentino foi para a segunda maior cidade do Equador, Guayaquil, um vibrante município portuário por vezes considerado a “capital da banana” por conta do comércio de frutas.

Em linha com seu estilo simplista, o papa andou pela cidade em um pequeno veículo prateado da Fiat.

Dezenas de milhares de pessoas se alinharam pela rota que sai do aeroporto, e às vezes empurravam o cordão de segurança para encostar no carro e atirar pétalas de flores perante ele.




Com os olhos incomodados pelo sol, Francisco foi então para um jipe aberto ao chegar ao local da missa, transitando por entre a multidão, estimada por autoridades em mais de 650 mil pessoas.

O papa de 78 anos falou sobre a família em sua homilia, tema que será assunto de uma grande reunião de bispos –o sínodo– que acontecerá no Vaticano em outubro.

O encontro deve discutir maneiras de como alcançar católicos que se divorciaram e permanecem fora da Igreja. Sob as atuais regras da Igreja, eles são proibidos de receber a comunhão a não ser que se abstenham de ter relações sexuais.

O papa disse que o sínodo “consideraria soluções concretas para os muitos difíceis e significativos desafios enfrentados por famílias de nossa época.”

Em sua homilia, ele também pediu pela renovação dos valores familiares e pela solidariedade com os mais velhos, os abandonados e os desempregados.


COMPARTILHE NO FACEBOOK CLICANDO NO BOTÃO COMPARTILHAR ABAIXO:

LEIA TAMBÉM:

NOSSO APLICATIVO: