Imagem de santo padroeiro é achada queimada 3 meses após furto em Goiás

Totalmente destruída, ela foi enterrada no jardim de igreja após cerimônia. Moradores de Santo Antônio do Descoberto estão indignados: 'Desrespeito'.


Santo Antônio - Foto: G1

Desaparecida há três meses, a imagem de Santo Antônio, padroeiro de Santo Antônio do Descoberto, cidade goiana do Entorno do Distrito Federal, foi encontrada queimada no sábado (21), em um matagal às margens da DF-190. A escultura ainda estava amarrada a cabos de aço, que segundo a Polícia Civil, foram usados para furtar a imagem, que ficava em um pedestal na entrada da cidade.


O santo ficou completamente destruído, mas o menino Jesus que ele carregava não teve tantos danos, será restaurado e ficará exposto na igreja da cidade. Já a imagem foi enterrada neste domingo (22), no jardim da paróquia, após uma cerimônia.

“Prescreve a orientação da igreja que quando uma imagem sacra é destruída deve ser ou enterrada ou lançada em água corrente. Optamos por enterrar no jardim de frente ao santuário e em cima plantar flores para demonstrar que ante a violência temos esperança de paz”, afirmou o padre Marcelo Vieira.

O empresário Emerson Silva ajudou a retirar a imagem de onde ela foi encontrada. "Dá um alívio porque a gente não sabia o que acontecido com a nossa imagem. É uma felicidade e ao mesmo tempo uma tristeza para nós que somos da comunidade católica”, afirmou.

O caso é investigado pela Polícia Civil. Segundo a delegada responsável pelo caso, Magda D'Ávila, ainda não há suspeito de quem tenha cometido o crime.

“Pelo local, as cinzas são bem recentes, algo em torno de três dias. A gente acredita que de repente, esse santo poderia estar escondido em algum lugar e a pessoa o jogou no matagal, colocando fogo em seguida ou pode ser que já tivesse jogado o santo lá e agora ateou fogo”, pontuou.

Uma nova imagem foi colocada na entrada do município na semana passada, no dia de Santo Antônio. Os devotos estão indignados com o caso. “Sinal de tristeza de ver que há um grande desrespeito em relação à fé por pessoas que não acreditam em Deus", destacou o contador Luiz Carlos Silva.

Comentários