José de Anchieta e sua devoção a Maria


Beato Padre José de Anchieta: sua vida, apostolado e devoção a Virgem Maria.
O Beato José de Anchieta, homem de profunda devoção a Virgem Maria, que comemoramos no dia 09 de Junho, foi um dos escolhidos pela Igreja ser intercessor da Jornada Mundial da Juventude 2013, que aconteceu na cidade do Rio de Janeiro. Escrever sobre ele, cuja memória celebramos neste sábado, dia consagrado a Nossa Senhora, é significativo pois ele teve toda a sua vida marcada pela presença da Virgem Maria.


Você sabe qual a importância de José de Anchieta para o início da Igreja no Brasil? Conhece sua devoção mariana?

José de Anchieta nasceu no dia 19 de março de 1534, em San Cristobal de Laguna, Tenerife, nas Ilhas Canárias, na Espanha. De família nobre, desde a infância, foi muito devoto de Nossa Senhora e, por volta dos seus dezessete anos, fez sua consagração a Maria. Nessa mesma época, entrou na Companhia de Jesus, mais conhecidos como jesuítas, que também são marcados pela devoção mariana.
José de Anchieta veio em missão para o Brasil em 1553, antes de terminar sua formação. Terminou seus estudos e foi ordenado por volta do ano de 1565. Teve grande influência na sociedade da época e foi muito importante para a obra de evangelização dos jesuítas. Escreveu sermões, poemas, peças teatrais, a gramática Tupi e muitas outras obras, que foram de muita utilidade para o uso nas missões dos jesuítas.




Foi um homem incansável, empenhado na evangelização, através da educação, nos colégios, mas também na catequização dos índios. Apesar do trabalho a favor destes, ficou preso durante meses numa tribo dos Tamoios e nesse tempo teria pedido a intercessão da Virgem Maria. Em agradecimento, Anchieta prometeu a Maria que comporia um poema em sua homenagem. Tamanha era a sua confiança, que antes da sua libertação teria escrito o poema a Nossa Senhora. Escrevia na areia e depois memorizou-o pois não tinha papel para escrever. Este ficou conhecido como “Poema a Virgem”.
O Padre José de Anchieta faleceu no dia 9 de Junho de 1597, depois de 44 anos de incansável trabalho apostólico no Brasil. Em 1617, os jesuítas do Brasil pediram que fosse aberto o processo de beatificação e canonização do Padre Anchieta. No ano de 1736, o Papa Clemente XII declarou-o venerável. Porém, em 1773 o seu processo foi suspenso. O processo foi reaberto dois séculos mais tarde e, em 22 de Junho de 1980, José de Anchieta foi beatificado pelo Papa João Paulo II, que o chamou de “Apóstolo do Brasil”.




O Beato José de Anchieta foi um grande exemplo de ardor missionário, de caridade para com os menos afortunados e de muitas outras virtudes evangélicas. Porém, seu amor e devoção a Virgem Maria marcavam sua personalidade, seu apostolado. Ainda que ele não tenha conhecido a consagração segundo o Tratado de São Luís Maria, que viveu dois séculos depois, a vivência da sua espiritualidade, marcadamente mariana, nos lembra a escravidão de amor a Santíssima Virgem. Que a vida deste grande homem de Deus seja para nós hoje um exemplo luminoso de dedicação total ao serviço de Jesus Cristo, do Reino dos Céus, e de devoção a Virgem Maria.

Via Canção Nova
COMPARTILHE COM SEUS AMIGOS


Comentários