Um Papa chamado Francisco: recorde a escolha do nome de pontificado



Cardeal Jorge Mario Bergoglio foi o primeiro Papa a escolher o nome Francisco por causa de São Francisco de Assis

O ano de 2013 foi dos Franciscos: do Papa e das crianças que receberam o nome em homenagem a ele. Somente no Estado de São Paulo, 30% das crianças registradas de março a dezembro receberam este nome.





Francesco Sávio Vanderlei de Oliveira tem 10 meses e recebeu o primeiro nome em homenagem ao Pontífice argentino. A ideia foi do pai do garoto, Frederico Henrique de Oliveira, que estava na Praça São Pedro, no momento do Habemus Papam. A esposa, Edilma Oliveira, estava grávida de 8 meses.

“Quando ele foi eleito, apareceu aos milhares de fiéis e falou com muita simplicidade, principalmente quando pediu que o povo rezasse por ele. Aquela foi uma experiência muito forte para mim. Eu fui às lágrimas, ali, na Praça de São Pedro, e me perguntava: que homem é esse?”, conta Frederico.

Já para o Papa, a escolha foi para homenagear o Santo de Assis, e a decisão precisou ser quase imediata. O Cardeal Bergoglio teve apenas alguns minutos, após o fim da contagem dos votos dos cardeais, para escolher seu nome de pontificado.

Ele mesmo conta como escolheu o nome ao receber uma “dica” de um amigo do Colégio Cardinalício. O cardeal brasileiro, Dom Cláudio Hummes, que estava sentado ao lado de Bergoglio durante o Conclave, ao perceber que as votações já haviam atingido os 2/3 necessários para eleger o Papa, cumprimentou-o.

“Ele abraçou-me, beijou-me e disse-me: ‘Não te esqueças dos pobres!’. E aquela palavra gravou-se-me na cabeça: os pobres, os pobres. Logo depois, associando com os pobres, pensei em Francisco de Assis. Em seguida, pensei nas guerras, enquanto continuava o escrutínio até contar todos os votos. Francisco é o homem da paz. E assim surgiu o nome no meu coração: Francisco de Assis”, contou o Papa na primeira audiência que teve com os jornalistas.

O Santo Padre brinca ainda com as sugestões recebidas dos colegas cardeais. “Mas tu deverias chamar-te Adriano, porque Adriano VI foi o reformador, e é preciso reformar. Outro disse-me: ‘Não! O teu nome deveria ser Clemente’. ‘Mas por quê?’. ‘Clemente XV! Assim, vingavas-te de Clemente XIV que suprimiu a Companhia de Jesus!’. São brincadeiras”, disse Francisco.

Em um dos programas da TV Canção Nova, Dom Cláudio Hummes comentou o grande dom para Igreja que é o pontificado de Francisco. Destacou que a escolha do nome é um programa de vida, um programa de Igreja. Dom Hummes falou ainda que a experiência do Cardeal Bergoglio, em Buenos Aires, na Argentina, foi uma preparação para seu pontificado.



Nome de pontificado

O especialista em informação religiosa, Andrea Gagliarducci, conta que a escolha de Bergoglio tem como pano de fundo a devoção do próprio fundador dos jesuítas, ordem à qual pertence o Papa. Segundo a história, Inácio de Loyola tinha Francisco de Assis como modelo de vida e até desejou imitar o santo.

“Tanto é que, no início, Inácio quis assumir a pobreza absoluta dos franciscanos, uma ideia que, mais tarde, tomou outros rumos, pois o objetivo da Companhia de Jesus era diferente da ordem franciscana”, explica Andrea.

De acordo com o especialista, não há um motivo específico para que, até hoje, não tenha sido escolhido por nenhum Pontífice o nome Francisco, uma vez que o santo é tão querido e famoso em todo o mundo.

“De modo geral, escolhia-se um nome com base na devoção, porém, com o tempo, os Papas começaram a escolher o nome com base em um programa de pontificado”, explica Andrea, reafirmando a opção do cardeal argentino.

“Para mim, é o homem da pobreza, o homem da paz, o homem que ama e preserva a criação; neste tempo, também a nossa relação com a criação não é muito boa, pois não? [Francisco] é o homem que nos dá este espírito de paz, o homem pobre… Ah, como eu queria uma Igreja pobre e para os pobres!”, conclui o Pontífice apontando de que modo irá caminhar.

Na história da Igreja, a escolha de um novo nome para o Papa teve início no século VI com a eleição de Mercúrio como Pontífice. O nome, por lembrar um deus pagão, não era adequado a um Papa, surgiu, então, a ideia de mudar o nome dele para João.

A partir daí, não como uma regra, os Papas começaram a optar pela mudança. Os mais utilizados foram João, Clemente e Pio. Curiosamente, o nome Pedro, do primeiro apóstolo, nunca foi escolhido, segundo o especialista, em respeito à grandeza do primeiro Papa. 

Fonte: CN

COMPARTILHE COM SEUS AMIGOS NO FACEBOOK CLICANDO NO BOTÃO COMPARTILHAR ABAIXO: