A graça e a alegria da Visitação

A Visitação de Maria foi um tempo de graça e a alegria, que também podemos experimentar em nossas vidas.

A Visitação de Maria a Isabel foi um tempo de graça e a alegria.
Visitação de Nossa Senhora (Nossa Senhora e Santa Isabel)
A Festa da Visitação de Nossa Senhora a sua prima Isabel nos transporta para um tempo longínquo, atualiza aquele momento de graça e de alegria: “Naqueles dias, Maria partiu apressadamente se a uma cidade de Judá. Ela entrou na casa de Zacarias e saudou Isabel. Quando Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança pulou de alegria em seu ventre, e Isabel ficou repleta do Espírito Santo” (Lc 1, 39-41). Ao ouvir a saudação da Virgem, João Batista, de quem Isabel estava grávida, pula de alegria no ventre de sua mãe. Isabel, por sua vez, ficha repleta, cheia do Espírito Santo.
Santo Afonso Maria de Ligório, em seu livro “As Glórias de Maria”, diz que feliz é a família que é visitada por uma pessoa importante, não só pelas honra da visita, mas também pelas vantagens que espera receber. “Por mais feliz, porém, se tenha a alma que é visitada por Maria, Rainha do mundo. Essa bondosa Mãe não pode deixar de encher de bens e de graças tais almas bem-aventuradas” (p. 299). Esta foi a experiência de Isabel e de João Batista. Estes experimentaram a alegria de receber a visita da Santíssima Virgem, a Arca Viva de Deus. Por isso, aquela família foi cumulada de toda sorte de graças e bênçãos celestiais.

São Luís Maria Grignion de Montfort, autor do “Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem”, diz nele que “Deus Pai juntou todas as águas e chamou-as mar; juntou as suas graças e chamou-as Maria” (TVD 23). Nossa Senhora é o “Tesouro do Senhor”, pois nela Deus guardou tudo que há de belo, de resplandecente, de raro e precioso, incluindo o seu próprio Filho Jesus Cristo. Este, por sua vez também a cumulou de graças: “Deus Filho comunicou à sua Mãe tudo o que adquiriu pela sua vida e morte, os Seus méritos infinitos e as suas admiráveis virtudes” (TVD 24). Jesus fez de Maria a tesoureira de tudo o que o Pai lhe deu como herança. Por meio de sua Mãe, Cristo aplica os seus méritos aos seus membros, comunica as suas virtudes e distribui as suas graças.
São Luís Maria diz ainda que “Deus Espírito Santo comunicou a Maria, sua fiel esposa, os Seus dons inefáveis, e escolheu-a para dispensadora de tudo quanto possui. Deste modo, Ela distribui a quem quer, quanto quer, como e quando quer todos os Seus dons e graças, e nenhum dom celeste é concedido aos homens sem que passe por suas mãos virginais” (TVD 25). Deus quis que tudo recebamos por Maria. Ela é enriquecida, elevada e honrada pelo Altíssimo. Justamente ela, que durante toda a sua vida se fez pobre, se humilhou e se escondeu até o mais profundo nada, em sua extrema humildade.
Como Isabel, que se abriu à graça de Deus e ficou grávida de João Batista já em idade avançada, nos deixemos visitar também pela Virgem Maria. Pois, ela nada mais quer do que comunicar a nós a graça e a alegria. Nossa Senhora quer nos comunicar os méritos infinitos e as admiráveis virtudes de seu Filho Jesus Cristo. Ela quer nos conceder os dons inefáveis do Espírito Santo, as suas graças. Peçamos a Santíssima Virgem um coração pobre e humilde, para que possamos receber tudo quanto Deus quer nos conceder, mas não conseguimos acolher, por causa de nosso fechamento à Sua graça.Consagremos inteiramente a nossa vida a Virgem Maria, tudo que temos e somos, todas as nossas boas obras, para que nosso coração seja todo de Jesus Cristo. Fonte: CN

Comentários

LEIA TAMBÉM:

NOSSO APLICATIVO: