O valor da Ave-Maria e do Terço

Grandes santos da Igreja rezaram, ensinaram e incentivaram a Ave-Maria, o Terço e outras orações marianas como meio de santificação.



São Luís Maria Grignion de Montfort, no livro “Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem”, nos fala da oração da “Ave-Maria” e sobre a oração do Terço e do Rosário. O Santo nos fala da importância dessas orações na vida dos consagrados a Nossa Senhora e na vida de todos os fiéis. Monfort diz que poucos cristãos conhecem “o valor, o mérito, a excelência e a necessidade desta oração” (TVD 249). Por isso, nos aprofundemos nos seus ensinamentos sobre essas orações marianas, que santificaram e continuam a santificar muitos fiéis da Igreja em nossos dias.



Para que compreendêssemos a grandeza da Ave-Maria, também conhecida como Saudação Angélica, “foi preciso que a própria Virgem Maria aparecesse várias vezes a grandes santos muito esclarecidos, como São Domingos, São João Capistrano, o bem-aventurado Alano da Rocha, para lhes mostrar o mérito desta oração. Estes compuseram grossos volumes sobre as maravilhas da sua eficácia na conversão das almas” (TVD 249).

Estes homens de Deus publicaram e pregaram que, tendo a salvação do mundo começando pela Ave-Maria, a salvação de cada alma em particular está ligada a esta oração. A Ave-Maria, rezada com devoção, faz germinar nas nossas almas a Palavra de Deus, e faz brotar o fruto de vida, que é Jesus Cristo. Estes disseram ainda que a Ave-Maria é um celeste orvalho que rega a Terra, isto é, a alma, para lhe fazer produzir fruto a seu tempo. Porém, “a alma que não for regada por esta oração ou orvalho celeste não dará fruto, mas apenas sarças e espinhos, não estando longe de ser amaldiçoada” (TVD 249).
O Santo de Montfort diz que a Santíssima Virgem revelou ao Bem-aventurado Alano da Rocha, conforme o seu livro “De dignitate Rosarii”, o seguinte: “Fica sabendo, meu filho, e fá-lo saber a todos, que um sinal provável e próximo de condenação eterna é ter aversão, tibieza e negligência em rezar a Saudação Angélica, que salvou todo o mundo” (TVD 250). Estas palavras são consoladoras, mas ao mesmo tempo terríveis. Dificilmente acreditaríamos nelas se não tivéssemos esse santo por garantia, bem como São Domingos, além de muitos outros grandes homens na história da Igreja.



São Luís dirige lindíssimas palavras àqueles que se consagram a Nossa Senhora: “Almas predestinadas, escravas de Jesus em Maria, ficai sabendo que a Ave-Maria é a mais bela de todas as orações, depois do Pai-Nosso. É a saudação mais perfeita que podemos dirigir a Maria, porque é a que o Altíssimo lhe transmitiu por um Arcanjo, a fim de lhe ganhar o Coração” (TVD 252). Esta oração foi tão poderosa, pelos seus encantos secretos, que Maria disse sim à Encarnação do Verbo, apesar da sua profunda humildade. Em vista da grandeza desta oração, será também por meio dela que lhe ganharemos o Coração da Virgem, se a rezarmos bem.
São Luís Maria ensina que “a Ave-Maria bem rezada, isto é, rezada com atenção, devoção e modéstia, segundo os santos, é a adversária que põe o demônio em fuga e o martelo que o esmaga; é a santificação da alma, a alegria dos anjos, a melodia dos predestinados, o cântico do Novo Testamento, o gozo de Maria e a glória da Santíssima Trindade” (TV D 253). Os santos dizem que a oração da Ave-Maria é um orvalho do Céu, que torna a alma fecunda, é um beijo puro e amoroso que damos a Nossa Senhora, é uma rosa vermelha que apresentamos a ela, uma pérola preciosa que lhe oferecemos.
Montfort nos diz para não nos contentar com rezar a coroinha de Nossa Senhora, mas pede que rezemos Terço todos os dias, e se tivermos tempo, que rezemos o Rosário quotidiano. Depois deste pedido, o Santo nos faz uma promessa: “Se o fizeres, bendirás na hora da morte o dia e o momento em que me acreditaste. Depois de teres semeado nas bênçãos de Jesus e Maria, recolherás bênçãos eternas no Céu: “Aquele que semeia nas bênçãos, bênçãos recolherá também” (2 Cor 9, 6)” (TVD 254). Acreditemos neste grande santo, mas também em tantos outros, como o saudoso Papa João Paulo II, que rezaram e incentivaram as orações dirigidas a Virgem Maria. Rezemos a Ave-Maria, a Coroinha de Nossa Senhora, o Terço e o Rosário e ofereçamos essas orações a Santíssima Virgem, pela salvação das almas e para a maior glória da Santíssima Trindade. 

Via Canção Nova

COMPARTILHE COM SEUS AMIGOS NO FACEBOOK  
CLICANDO NO BOTÃO COMPARTILHAR ABAIXO: